História

Fieg, há 70 anos fazendo o bem

Fundada em 17 de dezembro de 1950 por cinco sindicatos - das Indústrias da Construção e Mobiliário, da Indústria da Alfaiataria e Confecção de Roupas de Homem, da Indústria de Calçados, das Indústrias de Alimentação e das Indústrias Gráficas do Estado de Goiás -, a Federação das Indústrias do Estado de Goiás foi reconhecida por Carta Ministerial de 3 de abril de 1952 e instalada, oficialmente, em 1° de maio 1952, no salão de honra da Federação do Comércio do Estado de Goiás. Com a criação da Fieg, logo também se instalaram em Goiás os departamentos regionais do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai) e do Serviço Social da Indústria (Sesi).

Seu primeiro presidente, Antônio Ferreira Pacheco, manteve-se no cargo até 1967, quando faleceu e teve como substituto legal o vice-presidente José Aquino Porto. Durante 33 anos, José Aquino Porto presidiu a Fieg, reeleito em mandatos sucessivos, até considerar cumprida sua missão, passando a função, em 2000, ao vice Paulo Afonso Ferreira, que foi depois eleito para o triênio 2002/2005 e reeleito até 2010. Entre 2011 e 2018, a Federação das Indústrias foi conduzida pelo empresário Pedro Alves de Oliveira e, a partir de 2019, a presidência da instituição foi assumida pelo industrial Sandro Mabel, eleito de forma unânime para o quadriênio 2019-2022.

Nessas sete décadas de história, a entidade participou de todos os grandes acontecimentos no Estado que envolveram o setor industrial, colaborando decisivamente com os poderes públicos para implantação e consolidação do parque industrial goiano e de um ambiente de negócios competitivo. 

A Fieg trabalha por um estado favorável ao desenvolvimento da indústria. Buscamos a redução e simplificação dos impostos, menos burocracia, menos riscos, melhores condições de transporte e mais segurança jurídica para investir e produzir. Para isso, por meio da atuação de dez conselhos temáticos e cinco câmaras setoriais, articulamos com o setor público a adequação de leis e normas – em campos como o ambiental, o trabalhista e o tributário.

Na base de tudo isso está o trabalho pelo fortalecimento dos sindicatos industriais. São 35 sindicatos patronais das indústrias, que representam um terço da economia goiana e geram centenas de milhares de empregos em todo o Estado de Goiás.

Por meio das instituições Sesi, Senai e IEL, a Fieg promove Educação, Saúde e Segurança do Trabalhador, Qualificação Profissional, Soluções Tecnológicas e Inovação.

A Fieg luta ainda por uma sociedade produtiva, justa e com acesso a oportunidades. Por meio do Fieg + Solidária mobiliza industriais, trabalhadores da indústria e comunidade em geral para cuidar daqueles que mais precisam, seja pela doação de alimentos, produtos de higiene e limpeza e agasalhos, seja pela oferta de almofadas do coração, que aliviam a dor de mulheres que tiraram o seio em virtude do câncer de mama.

Por tudo isso, a Fieg lidera empreendedorismo, inovação e solidariedade no setor produtivo, trabalhando incansavelmente pelo crescimento de Goiás e por uma melhor qualidade de vida para os goianos.