05 Nov. 2020, 11h00

Vanderlan anuncia ProGoiânia, projeto de polos industriais

“Goiânia é uma cidade cheia de desafios e se tem algo que eu gosto muito é de um bom desafio”, declarou o senador Vanderlan Cardoso (PSD), candidato a prefeito da capital nas eleições de 15 de novembro, que encerrou quarta-feira (04/11) o Fieg Sabatina, que durante os meses de setembro ouviu os postulantes à gestão de Goiânia e Aparecida de Goiânia. O também empresário e seu companheiro de chapa a vice, Wilder Morais (PSC), foram recebidos, na Casa da Indústria, pelo presidente da Fieg, Sandro Mabel, que abriu o programa de entrevistas perguntando como o Sistema Indústria pode contribuir com a futura gestão municipal.


Presidente da Fieg, Sandro Mabel e o candidato à prefeitura de Goiânia Vanderlan Cardoso (PSD). Fotos: Alex Malheiros

Vanderlan relembrou a trajetória dele como prefeito em Senador Canedo, onde funciona um núcleo Sesi e Senai, e destacou que os projetos só tiveram sucesso porque contaram com a parceira do Sistema Fieg. “Em Goiânia não será diferente”, afirmou.

Prefeito de Senador Canedo em duas ocasiões e atualmente ocupando uma vaga no Senado, ele destacou que não está sozinho na “empreitada” assumida ao decidir disputar o Paço Municipal. “Nunca na história de Goiânia”, gaba-se, “vimos uma união de lideranças políticas tão grande em torno de uma candidatura, ou melhor, de um ideal. Só na nossa coligação, Goiânia em Um Novo Momento, temos sete partidos muito importantes”.

Entre outros projetos, antecipou a reedição de uma proposta lançada em 2016 e que consiste na criação de polos industriais em sete regiões da cidade, abrangendo os setores de vestuário, calçados, marcenaria, confecções, artesanato, joias e outros. Um de seus pontos contempla parceria mais ampla com o setor privado de forma a expandir a utilização do Sistema S (Senai, Senac, Sesi, Sebrae, Sesc e Senat), envolvendo ainda as indústrias dos polos planejados pelo candidato.

“Esse projeto já tem até nome e será o ProGoiânia”, destacou, contemplando incentivos fiscais para atrair investimentos. A ideia é promover a geração de empregos mais próximos das áreas mais densamente habitadas, melhorando principalmente a “questão da superlotação do transporte público”, já que haverá menor necessidade de deslocamento das pessoas. Como parte ainda do mesmo projeto, se eleito, Vanderlan Cardoso pretende “qualificar a Rede Metropolitana de Transportes Coletivos (RMTC) sob os aspectos operacional, institucional e econômico-financeiro”.

A descentralização econômica deverá ser acompanhada por investimentos na implantação de novos corredores de ônibus exclusivos, segundo estudos técnicos e de acordo com a demanda da sociedade. O senador promete concluir as obras do corredor norte-sul do BRT e todas as demais iniciadas pelo atual prefeito, além de instalar a infraestrutura necessária para atender ao sistema de transporte, em parceria com os governos do Estado e federal. “Vamos também iniciar os trabalhos do anel viário metropolitano, que vai melhorar o trânsito e trazer novas áreas de industrialização, geração de emprego e renda”, disse. Com esse conjunto de obras, associadas à implantação de polos de desenvolvimento e às regionais administrativas, estima, haveria redução em torno de 30% no fluxo de passageiros, “pois com serviços e trabalhos próximos de casa, as pessoas não precisão realizar grandes deslocamentos pela cidade”.

De acordo com ele, um dos principais projetos na área econômica será colocar Goiânia no primeiro lugar na produção e como centro logístico de distribuição de moda no País, com valorização da Rua 44, revitalização de polos importantes, como a das avenidas Bernardo Sayão e 85, numa iniciativa que exigirá a definição de uma estratégia nacional de comunicação e divulgação para atrair clientes e turistas. Os planos para o setor incluem a criação de um polo de lavanderias e a instalação de linhas exclusivas de ônibus para o circuito da moda na capital.

O plano de governo elaborado pela equipe do candidato toma como base cinco valores inseridos no conceito de Cidades Humanas, Inteligentes, Criativas e Sustentáveis (CHICS), em sua descrição. O primordial, acrescentou ele, é que “a tecnologia e todos os aspectos indispensáveis na vida urbana – econômicos, de gestão e ambientais, entre outros – estejam direcionados primordialmente para as demandas e as questões sociais”.

O candidato prevê parcerias com as instituições do Sistema S para “promover e fomentar a qualificação profissional de jovens e adultos para o aperfeiçoamento profissional e dar continuidade ao que já é realizado. Essa é uma importante parceria que levaremos adiante”, comentou. Sua meta é universalizar o acesso à educação e principalmente o atendimento às crianças. Ainda na área educacional, o projeto Família na Escola deverá atender mães e pais que desejam participar do programa Educação de Jovens e Adultos (EJA) em período noturno, mas não têm com quem deixar os filhos. “A Prefeitura disponibilizará cuidadores e atividades para as crianças enquanto seus pais estiverem na sala de aula e, também, estabelecerá um projeto para minimizar a defasagem de aprendizagem decorrente da falta de aulas presenciais em razão da pandemia da Covid-19”, adiantou.

“Recorreremos mais uma vez às parcerias com o Sistema S, onde há peritos nesse assunto, para ampliar cursos técnicos profissionalizantes para jovens iniciantes, implantando o projeto Primeiro Emprego”, anunciou ainda. O projeto de fomento Crescer Goiânia, acrescentou ele, e a parceria com o Sebrae estarão em articulação para o desenvolvimento do projeto Minha Primeira Empresa, num estímulo ao empreendedorismo. “O jovem terá atenção especial em nosso governo, pois são o futuro de qualquer sociedade”, declarou o senador.

Escreva um comentário: