16 Dec. 2020, 17h44

União pelo incremento da agroindústria em Goiás

Conselho Temático do Agronegócio da Fieg reúne conselheiros e empresários para apresentação do planejamento e de ações prioritárias do colegiado em 2021

O Conselho Temático do Agronegócio (CTA) da Fieg, liderado pelo empresário Marduk Duarte, reuniu conselheiros e lideranças do setor para apresentação do planejamento e ações prioritárias do colegiado em 2021. Realizado quarta-feira (16/12), na Casa da Indústria, o encontro foi aberto pelo presidente da Fieg, Sandro Mabel. Participaram também da reunião, de forma presencial e remota, o vice-presidente André Rocha; o presidente do Sindtrigo, Sérgio Scodro; o presidente executivo da Adial, Edwall Portilho; o superintendente da Fieg, João Carlos Gouveia; e a gerente sindical, Denise Resende.

Dentre as ações estratégicas que serão desenvolvidas pelo Conselho, está a organização de grupos de trabalho temáticos das principais áreas do agronegócio em Goiás. Para tanto, foram estruturados GTs dedicados ao leite, carne, silvicultura, grãos e ao setor sucroenergético. As equipes contarão com apoio da coordenação técnica (Cotec) da Fieg e assessoria dedicada para atendimento das demandas apresentadas por cada um dos setores da agroindústria.

"Nós temos ligações com todos os conselhos da área técnica e podemos buscar aqui dentro as parcerias que precisamos para avançar em demandas estratégicas para a agroindústria. Temos como fazer ações em conjunto, depende somente da solicitação de cada cadeia produtiva", ponderou Marduk Duarte.

O presidente do CTA explicou ainda que a divisão em grupos de trabalho busca dar mais agilidade na apresentação das demandas e das soluções, promovendo uma aproximação da indústria com o produtor, inclusive para agregar valor às matérias-primas que vêm do campo. "Nosso papel é abrir os nossos olhos e mostrar para o produtor como podemos contribuir com o negócio deles. É bom para todo mundo!", afirmou Marduk.

O presidente da Fieg, Sandro Mabel, destacou que os principais pilares da indústria goiana possuem ligação com o trabalho que é desenvolvido pelo CTA e que a federação está empenhada em proporcionar o apoio necessário aos produtores e industriais goianos com foco na industrialização do que é produzido no campo.

Para tanto, o CTA já trabalha na estruturação de produtos que serão ofertados ao setor produtivo, com vistas ao fomento da agroindústria. Serão disponibilizados indicadores e sondagens do setor, inclusive com foco na exportação; análises de preços de insumos; e software exclusivo para medição de toras de madeira, indicando volume, contagem, diâmetro e densidade do material, através de análise de foto da carga. Paralelamente, será retomado o projeto Goiás Energia Verde, com parceria do Senai, para incremento da biomassa e energias renováveis nas indústrias goianas.

O vice-presidente da Fieg André Rocha, que acompanhou as discussões via ferramenta Zoom Cloud Meetings, parabenizou a iniciativa do CTA e destacou a importância dos conselheiros conhecerem os diversos setores do agronegócio goiano para identificar oportunidades e parcerias para crescimento dos negócios. Nesse sentido, foi sugerido à Cotec/Fieg a estruturação de mapa de desenvolvimento das cadeias produtivas por região.

"Precisamos estruturar um plano de desenvolvimento para o Estado, indicando como podemos contribuir com a geração de emprego e aumento da arrecadação, sobretudo em regiões socioeconomicamente mais carentes. Assim, fomentamos cadeias produtivas em todo o Estado de forma incentivada", pontuou André Rocha.

No encontro, foi apresentado ainda um panorama sobre a área técnica da Fieg, que hoje conta com dez conselhos temáticos, quatro câmaras setoriais e três assessorias técnicas para subsidiar soluções para o setor produtivo.

De acordo com calendário de eventos apresentado na reunião, estão previstos 25 encontros dos conselheiros do CTA e grupos de trabalho em 2021, além de quatro reuniões gerais e um evento de encerramento para balanço das metas alcançadas. Além disso, estão previstos também o apoio da Fieg ao Congresso Brasileiro de Ciência e Tecnologia da Madeira (CBCTEM), em outubro, e ao Congresso Internacional de Biomassa (CBIO), em dezembro; a realização de cinco etapas da iniciativa Dias de Campo na Agroindústria, envolvendo as áreas dos GTs; e a promoção do 1º Congresso da Agroindústria: Indústria e Produtor Caminhando Juntos, previsto para o segundo semestre, na Fieg.

Escreva um comentário: