19 Mar. 2020, 21h48

Sindicatos firmam CCT's emergenciais diante de crise pandêmica

Diante das medidas tomadas pelo Governo Estadual para enfrentamento da crise pandêmica causada pelo coronavírus (COVID-19), Sindicatos das Indústrias mobilizam suas bases e firmam Convenções Coletivas de Trabalho emergenciais e temporárias com os Sindicatos dos Trabalhores de cada setor. O objetivo é minimizar as consequências e, principalmente, defender o emprego e a renda do trabalhador.

Abaixo, seguem as CCT's temporárias e emergenciais firmadas até o momento:

☑ FIEG - Federação das Indústrias do Estado de Goiás e FTIEG - Federação dos Trabalhadores na Indústria nos Estados de GO/TO/DF.

SINDPÃO - Sindicato das Indústrias de Panificação e Confeitaria do Estado de Goiás e SINTPÃO - Sindicato dos Trabalhadores em Indústrias de Panificação e Confeitaria de Goiânia.

SINROUPAS - Sindicatos das Indústrias de Confecções de Roupas em Geral de Goiânia e STIC-GO - Sindicato dos Oficiais, Alfaiates, Costureiras e Trabalhadores na Indústria de Confecção de Roupas no Estado de Goiás.

SINVEST - Sindicato das Indústrias de Vestuário dos Estado de Goiás e STIC-GO - Sindicato dos Oficiais, Alfaiates, Costureiras e Trabalhadores na Indústria de Confecção de Roupas no Estado de Goiás.

☑ SINDUSCON GOIÁS - Sindicato da Indústria da Construção o Estado de Goiás e SINTRACOM - Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias da Construção e do Mobiliário de Goiânia e FETICOM GO/TO - Federação dos Trabalhadores nas Indústrias da Construção e do Mobiliário nos Estados de Goiás e Tocantins.​

2 comentários

  • cleiton  |  22/03/2020 21:36

    Estamos sempre torcendo pra que tudo se acerte, o mais rapido o possivel e que prossigamos para o avanço.

  • Higor Fontes  |  23/03/2020 01:52

    Nós industriários do Estado de Goiás agradecemos pelo apoio do FIEG e torcemos para que nossos governantes se unam para o bem comum de nossa nação, elaborando em conjunto, um planejamento para conter o avanço da contaminação do Coronavírus. Para evitar danos maiores como desempregos, falências de empresas, aumento no índice de criminalidade, etc, o correto seria criar Zonas de Quarentena em cada Capital e delimitar a quarentena para os infectados. Com isso, deveriam realizar testes em toda a população, tratando os infectados nas Zonas de Quarentena. Dessa maneira, a sociedade poderia continuar com a economia ativa e suas vidas normais. Esse é o único plano infalível para enfrentar uma pandemia. Enquanto isso não ocorre, vamos seguir as instruções do Ministério da Saúde e clamar a Deus para que essa crise histórica termine com poucos impactos.

Escreva um comentário: