20 Jul. 2021, 17h00

Sandro Mabel homenageia alunos campeões do Sesi Goiás

Os alunos do Sesi Vila Canaã foram aclamados por presidentes de sindicatos, conselhos e equipe técnica da Federação, pelos prêmios internacionais conquistados

O presidente da Fieg, Sandro Mabel, conduziu na segunda-feira (19/07), a 25ª reunião mensal de diretoria da Federação, com participação de presidentes de Sindicatos, dos Conselhos Temáticos e equipe técnica do Sistema Indústria.

Desta vez, o encontro realizado de forma híbrida (on-line e presencial) contou com a participação dos alunos campeões do Torneio Asia Pacific Open Championships 2021, realizado este mês, na Austrália. Os alunos do Sesi Vila Canaã mostraram como funciona o robô campeão e as fases de criação do projeto.


Fotos: Alex Malheiros

“Nós estamos trabalhando para investir em laboratórios, novos cursos, tecnologia para continuar formando campeões, uma educação de qualidade. Serão R$ 15 milhões investidos nas escolas Sesi. Os nossos alunos são preparados para trabalhar na indústria 4.0, eles já estão aprendendo a linguagem de programação, que é a linguagem do futuro”, destacou Sandro Mabel.

O líder do Sistema Indústria em Goiás ressaltou a importância do acolhimento dos empresários ao oferecerem oportunidades aos alunos do Sesi: “Essa garotada está à disposição para estágios e oportunidades dentro da indústria. Investimos muito nas nossas escolas para que os estudantes recebam o melhor ensino e, posteriormente, coloque-os em prática dentro da indústria, e eu posso afirmar que esses jovens estão preparados para garantir o sucesso da sua empresa”, garantiu.

O superintendente do Sesi e diretor regional do Senai, Paulo Vargas, e o diretor de Educação e Tecnologia e Inovação Sesi Senai, Claudemir Bonatto, reafirmaram os investimentos altíssimos em educação com novos espaços maker, tecnologia de robotização, robótica industrial para as escolas Senai, dentre outros.

Os presidentes de sindicatos elogiaram a dedicação dos estudantes e toda equipe pedagógica das escolas Sesi. Para o presidente do Sinprocimento, Marley Rocha, a competência das escolas Sesi são inquestionáveis. “As nossas escolas trabalham também o fator humano, ao preparar os adolescentes para enfrentar desafios. O nosso mercado de trabalho está mudando e o Sesi e Senai tem papel extremamente relevante nesse processo”, afirmou.

Segundo o vice-presidente da Fieg, que também presidi o Sindcurtume, Emílio Bittar, o orgulho que ele tem desses estudantes é imenso. Bittar completou que fez questão de espalhar a notícia para os amigos empresários e em todas as cidades onde ele mantém atividade industrial.

O presidente do Siaeg, Antônio Benedito, parabenizou os alunos e professores e destacou a necessidade de formação de mão-de-obra qualificada. “Nós temos em nossas indústrias máquinas importadas e temos dificuldade em encontrar pessoas para operá-las. Vendo vocês com essa garra, eu fico já pensando em como vocês poderão nos ajudar no futuro”, pontuou.

Sandro Mabel ressaltou o empenho de toda equipe educacional das escolas Sesi Goiás, diretores, professores, gerentes, que são responsáveis pela manutenção do ensino de qualidade, e dos sindicatos que apoiam e investem em tecnologia e inovação.  

Robô Campeão

Um robô construído por alunos da equipe Geartech Canaã, da Escola Sesi Canaã, de Goiânia, venceu o Torneio Asia Pacific Open Championships 2021, evento considerado um dos mais importantes do mundo, realizado de 9 a 11 de julho, na Austrália. O time do Sesi Goiás ficou em 1º lugar geral e também levou o 3° lugar do Prêmio Pensamento Criativo e Melhor Robô e Finalistas da Aliança. Por causa da Pandemia, o mundial aconteceu online. A Geartech competiu com 24 grupos do Canadá, Brasil, Austrália, China, Romênia, Alemanha, Rússia, Nigéria, México e Holanda. Os campeões garantiram vaga para a disputa após a conquista do tricampeonato na etapa brasileira, no mês de junho deste ano.

No torneio, estudantes de 14 a 18 anos, projetaram e construíram robôs capazes de realizar tarefas. Para isso, eles aprenderam a trabalhar com máquinas e circuitos – os mesmos equipamentos utilizados por grandes engenheiros. Sob orientação de adultos (técnicos e mentores), os participantes colocaram em prática princípios de engenharia, desenvolveram programação em JAVA e tiveram oportunidade de aplicar diversas habilidades nos projetos.

As competições têm como base a abordagem STEAM (acrônimo em inglês para Ciências, Tecnologia, Engenharia, Artes e Matemática), com o objetivo de incentivar jovens a pensar de forma criativa, eficiente e prática para resolver problemas. Com isso, os estudantes também têm a oportunidade de desenvolver habilidades fundamentais para o mercado de trabalho, como trabalho em equipe, planejamento, cooperação, diálogo, pesquisa e tomada de decisões.

Escreva um comentário: