06 Oct. 2021, 13h00

Sandro Mabel aponta caminhos para sustentabilidade na mineração e destaca boas práticas do setor

O presidente da Federação das Indústrias do Estado de Goiás (Fieg), Sandro Mabel, que também dirige o Conselho Temático de Mineração da CNI, apresentou hoje (06/10), o projeto Mineração Sustentável – Desafios e Estratégias para o seu Pleno Desenvolvimento, no evento virtual ExposIbram – Expo & Congresso Brasileiro de Mineração, realizado pelo Instituto Brasileiro de Mineração (Ibram).

O encontro do setor mineral brasileiro, que ocorre entre os dias 5 e 7 de outubro reúne os mais importantes líderes do segmento da mineração. Em palestras, são compartilhados projetos, casos de sucesso, novidades, novos negócios e perspectivas para as próximas décadas em relação ao setor.  

Durante sua participação no evento, Sandro Mabel destacou características do setor mineral nacional, incluindo parte econômica, os desafios na ampliação e diversificação na produção mineral nacional, investimentos e a desburocratização, as propostas de melhoria do setor em relação a imagem, licenciamentos e autorizações junto aos órgãos ambientais, revisão do Código Minerário, mecanismos de financiamento, etc.

"Não basta que a gente faça, precisamos mostrar às pessoas tudo o que fazemos pelas comunidades para redução dos impactos ambientais, pela geração de empregos e de riquezas para o nosso País", afirmou o presidente da Fieg.

O dirigente da Fieg alertou para a “associação errônea” que a sociedade faz da atividade minerária com a devastação causada por empreendimentos ilegais ou desastres ambientais. "Atividades mineratórias não podem ser confundidas com garimpos ilegais, como é mostrado a todo tempo nas grandes mídias. As empresas do setor mineral passam por diversos processos de licenciamento e autorização e têm suas atividades regularmente fiscalizadas", ressaltou.

O evento organizado pelo Instituto Brasileiro de Mineração (Ibram) é realizado anualmente e na edição 2021 abordou os temas "economia verde" e "segurança de processos na indústria mineral". A programação do Congresso Brasileiro de Mineração promove minicursos e debates por especialistas nacionais e internacionais em mineração e setores afins sobre o contexto político e socioeconômico global e os desafios do setor mineral.

O presidente da Fieg ainda destacou a importância de boas práticas promovidas por mineradoras goianas e a parceria Sesi e Senai para sustentabilidade do setor. “Aqui em Goiás, em Minaçu, no Norte do Estado, temos uma boa prática para mostrar ao mundo e que nos orgulha por ter também o Sesi e Senai como parceiros: o projeto de exploração de terras raras da Mineradora Serra Verde, dentro do conceito de ‘economia verde’, uma visão de negócio integrada aos pilares de desenvolvimento sustentável e responsabilidade social”, salientou.

Com o objetivo de originar diversos negócios entre fornecedores e mineradoras a partir de reuniões on-line, a feira virtual conta com a participação de  25 mineradoras ou empresas que têm mineração entre seus negócios do Brasil e do mundo, como: Alcoa, AMG Brazil, Ampar (Central de Negócios), Anglo American, AngloGold Ashanti, Appian Capital Brazil, Bemisa, Brasil Grafite Mineração – Grupo South Star, Ecomining America, Extrafilito Mineração Indústria e Comércio, Ferro+ Mineração, Fides Mining, Gerdau, Intercement Brasil, Kinross,  LafargeHolcim, Jaguar Mining, Mineração Taboca, Mineração Usiminas, Mosaic Fertilizantes, Nexa Resources, Nova América Mineração, SAFM Mineração, Vale e Yamana Gold.

Escreva um comentário: