30 Sep. 2020, 18h50

Novo programa potencializa setor mineral, diz Sandro Mabel

Lançado pelo governo federal em setembro, Programa Mineração e Desenvolvimento (PMD) contempla proposta estratégica da Fieg de industrialização dos bens minerais goianos para agregação de valor

Um dos três pilares estratégicos definidos pela gestão 2019-2022 da Federação das Indústrias do Estado de Goiás (Fieg) – ao lado da verticalização da produção de grãos e do fortalecimento do setor de confecção –, a industrialização da produção mineral goiana e do Brasil ganha impulso capaz de potencializar a onda pró-desenvolvimento do setor, defendida pela indústria.

A opinião foi expressa pelo presidente da Fieg e do Conselho Temático de Mineração da Confederação Nacional da Indústria (CNI), Sandro Mabel, ao participar do lançamento oficial, dia 28 de setembro, doPrograma Mineração e Desenvolvimento (PMD) – Plano de Metas e Ações 2020/2023, pelo governo federal. A solenidade, no Ministério das Minas e Energia, contou com presença do presidente Jair Bolsonaro, do ministro Bento Albuquerque, entre outras autoridades e profissionais ligados ao setor, como parlamentares e dirigentes de empresas e entidades de mineração.

De Goiás, também participaram do evento o vice-presidente da Fieg Flávio Rassi, o presidente do Sindicato das Indústrias Extrativas do Estado de Goiás e do Distrito Federal (SIEEG-DF), Luiz Vessani, e o presidente da Câmara Setorial de Mineração (Casmin-Fieg), Wilson Borges.


Wilson Borges, Luiz Vessani, Flávio Rassi e Sandro Mabel: comitiva goiana no lançamento do PMD

Segundo Sandro Mabel, a iniciativa reforça a importância do setor para a retomada da economia pós-pandemia e fortalece o direcionamento das ações encampadas pela Fieg, dentro do objetivo de tornar a mineração fonte de riqueza para um desenvolvimento sustentável.

“O PMD foi um programa que o Conselho Temático de Mineração da CNI (Comin) ajudou a criar, levou sugestões, e a Secretaria de Mineração, que é comandada pelo Alexandre Vidigal, acrescentou mais uma série de ideias e virou um programa nacional importante, que dá impulso à mineração. Tão importante que o lançamento foi prestigiado pelo ministro Bento Albuquerque e pelo presidente da República. De uma maneira geral, o programa atendeu, sim, à mineração, que tem problemas que estão dentro desse programa e outros que estamos resolvendo via Agência Nacional de Mineração (ANM). Combinando ações do Comin, com esse programa lançado agora, com ações do Ministério das Minas e Energias, juntando isso tudo, a mineração tá pegando uma onda importante para esses próximos anos”, ressaltou Sandro Mabel.


Sandro Mabel conversa com o Bolsonaro sobre o PMD: impulso ao segmento mineral

Opinião semelhante foi manifestada durante o lançamento do PMD pelo ministro Bento Albuquerque. “Este programa define a agenda do governo para a mineração no período de 2020 a 2023. A mineração é essencial e imprescindível para o País e para o mundo. É uma das grandes forças da economia brasileira, importante vetor do progresso e sinônimo de seu desenvolvimento para a promoção do bem-estar de todos. O estilo de vida que a sociedade moderna adotou com uma infinidade de bens, produtos, equipamentos e recursos tecnológicos torna indispensável, cada vez mais, a utilização dos bens minerais”, disse.

O PMD, que desde 2019 vem sendo trabalhado e apresentado aos diversos agentes, tanto do setor público como do setor privado que atuam ou têm interesse pela mineração, contempla 110 metas bem definidas, além de ações em dez áreas de concentração temática para a mineração para o período de 2020 a 2023. O programa trata de questões referentes a economia mineral, sustentabilidade, conhecimento geológico, aproveitamento mineral em novas áreas, investimentos e financiamentos para o setor mineral e à tecnologia e à inovação mineral.

Conheça o Programa Mineração e Desenvolvimento (PMD) (https://fieg.com.br/repositoriosites/repositorio/portalfieg/download/Pesquisas/Programa_Mineracao_e_Desenvolvimento___PMD_20202023.pdf)

“A mineração contribui de modo expressivo para a economia do País e pode ser importante mola propulsora para impulsionar a retomada do seu crescimento”, declarou o secretário de Geologia, Mineração e Transformação Mineral do MME, Alexandre Vidigal de Oliveira. “O objetivo é promover o crescimento do setor mineral brasileiro”, acrescentou.


Jair Bolsonaro lança o Programa Mineração e Desenvolvimento, ao lado do ministro das Minas e Energia, Bento Albuquerque, e do secretário de
Geologia, Mineração e Transformação Mineral do MME, Alexandre Vidigal de Oliveira

O programa também inclui assuntos relacionados a governança, gestão e eficiência, enfrentamento à mineração ilícita e imagem da mineração, expansão de áreas sujeitas à atividade mineral, ao aumento da produção e às receitas provenientes dessa atividade, à elevação do grau de sustentabilidade do setor, além de estruturar os mais variados e diversos dados oficiais sobre a mineração brasileira.

Quanto à questão da segurança jurídica, o PMD visa à atração de investimentos para projetos na área de mineração, inclusive, do exterior, com vistas a consolidar essa atividade como parceira do desenvolvimento sócio-econômico-ambiental, principalmente nos municípios mineradores e nas regiões do entorno, de norte a sul do País.

 

Escreva um comentário: