01 Jun. 2022, 17h56

Na Alemanha, Fieg anuncia implantação de projeto piloto de hidrogênio verde no Senai Goiás

Iniciativa foi divulgada durante missão empresarial a Hannover Messe, que possui pavilhão dedicado a soluções em energia e produção de baixo carbono

Em meio à missão empresarial goiana que lidera na Alemanha, até 7 de junho, na Hannover Messe 2022, principal vitrine de tecnologia industrial do mundo e onde a questão da sustentabilidade energética domina todas as atenções, o presidente da Federação das Indústrias do Estado de Goiás (Fieg) e dos Conselhos Regionais do Sesi e Senai, Sandro Mabel, anunciou a boa-nova: a implantação de projeto piloto para geração de hidrogênio verde no Senai Goiás.  

"Estamos entusiasmados com as novidades da exposição, sobretudo com a questão da sustentabilidade energética. Hoje o hidrogênio verde é a solução de combustível e de geração de energia para o futuro. Vimos um pavilhão inteiro sobre isso e anunciamos que vamos implantar piloto nesse sentido no Senai Goiás para fazer, cada vez mais, um trabalho para que as indústrias tenham energia mais barata e limpa, principalmente com foco na eliminação do uso de carbono", afirmou Sandro Mabel nesta quarta-feira (1º de junho), terceiro dia da feira. 

Referência em Goiás, o Instituto Senai de Tecnologia em Automação participou de projeto pioneiro do setor no Centro-Oeste, com a inauguração da primeira planta de estudos de geração de hidrogênio verde de Furnas, em Itumbiara, no Sul do Estado, no final do ano passado. O investimento no projeto de pesquisa foi de quase R$ 45 milhões. A iniciativa, que envolveu também o meio acadêmico das universidades Estadual Paulista (Unesp) e a de Campinas (Unicamp), o Centro de Pesquisas de Energia Elétrica (Cepel), além da Universidade Tecnológica de Brandenburgo, da Alemanha, busca estudar o armazenamento e a inserção de energia no Sistema Interligado Nacional (SIN), a partir da produção do combustível renovável.

"Nosso objetivo é implantar uma unidade prototipada desse projeto maior, feito em parceria com Furnas. Tivemos uma participação ativa nesse processo e queremos, com essa planta no Senai, ofertar a solução de forma customizada e didática para criar um novo conceito de geração de energia sustentável para as indústrias goianas", acrescentou Sandro Mabel.

Empresário do setor e integrante da delegação goiana na Alemanha, o presidente do Conselho Temático de Infraestrutura da Fieg (Coinfra), Célio Eustáquio de Moura, que também comanda o Sindicato da Indústria da Construção, Geração, Transmissão e Distribuição de Energia Elétrica no Estado de Goiás (Sindcel), defendeu a iniciativa de implantação de planta piloto de hidrogênio verde no Senai Goiás. "A questão da sustentabilidade passa necessariamente pela discussão de energias que descarbonizam as atividades industriais. É um momento muito importante que vem beneficiar todos. Nós temos que estar atentos a esses movimentos, buscando mitigar prejuízos decorrentes da utilização do carbono".

A questão energética é um dos temas mais debatidos na Alemanha entre representantes governamentais e empresários que participam, até quinta-feira (02/06), da Feira de Hannover. Na segunda-feira (30/05), ocorreu seminário com foco na realização de estudos sobre projetos que envolvam a produção de hidrogênio verde, considerado uma das principais alternativas para a descarbonização da economia do planeta. O momento envolveu a Embaixada do Brasil na Alemanha, a Fieg, a Federação das Indústrias do Rio Grande do Sul (Fiergs), o governo do Rio Grande do Sul e outros parceiros.

Quem circula pelos corredores da feira também vê bastante destaque para os setores de robótica, automação, Indústria 4.0 e inteligência artificial. Nos estandes, robôs e braços artificiais mostram o que há de novidade para quem deseja modernizar e tornar mais eficiente a operação de uma fábrica. Além disso, produtos inovadores também são apresentados, como uma bicicleta de plástico, sendo 60% dele reciclado, fabricada pela empesa alemã Igus. A ideia é colocá-la no mercado até o final do ano. A empresa Festo, por sua vez, inventou um pássaro que voa como se fosse verdadeiro, até batendo asas, sem hélice nem turbina, operado por controle remoto.

No âmbito da inovação, o presidente do Conselho Temático de Desenvolvimento Tecnológico e Inovação (CDTI), Heribaldo Egídio, reconheceu a importância da missão e da participação na feira mundial como incentivadoras de iniciativas de promoção da transformação industrial em Goiás. "Hannover é um ambiente propício para isso. Nosso desafio é ser mais colaborativos com nossos empresários na questão da inovação, preparando e capacitando nossos jovens e técnicos para liderarem esse movimento dentro das indústrias. Temos um moderno laboratório de inteligência artificial (IA) no Senai para dar suporte nessa missão", avaliou. 

A Hannover Messe, considerada o maior e mais importante evento na área de tecnologia e automação, reúne anualmente milhares de expositores e participantes estrangeiros. Além de Hannover, parte da delegação goiana irá também a Berlim, onde fará visitas técnicas e de benchmarking a indústrias, parques eólicos offshore e ao Parque de Ciência e Tecnologia Adlershof. Haverá ainda encontros estratégicos com autoridades do governo e empresas alemãs. A programação da missão empresarial promoveu ainda, na terça-feira (31/05), visita técnica à fábrica da Mercedes-Benz, em Bremen, no norte da Alemanha. A planta é a segunda mais importante da montadora alemã no País, com produção de 400 mil veículos ao ano, empregando 13 mil pessoas. No local, são produzidos 11 diferentes modelos de veículos, como SUVs, sedãs e esportivos, movidos a gasolina e gás natural, ou mesmo veículos híbridos e elétricos, sempre adaptando as linhas de montagem ao formato requerido pelo cliente. Boa parte da produção é executada por robôs e inteligência artificial. Já nas linhas de produção mais avançadas, os funcionários estão presentes em grande número, dividindo espaço com as máquinas.

A partir de quinta-feira (02/06), a missão goiana cumprirá agenda em Berlim, com visita guiada à KPM, indústria de manufatura de porcelana real, e ao Parque de Ciência e Tecnologia Adlershof e visitas técnicas a empresas alemãs do setor de energia renovável. Ainda na capital alemã, o presidente da Fieg, Sandro Mabel, comandará apresentação das potencialidades de Goiás para representantes da Federação das Indústrias da Alemanha (BDI), em reunião na Embaixada do Brasil em Berlim. O encontro contará com participação do embaixador brasileiro Roberto Jaguaribe Gomes de Mattos, do primeiro-secretário Rômulo Milhomem Freitas Figueira Neves e do diretor da BDI Oliver Klein.

SOBRE A HANNOVER MESSE – Considerada a maior e mais importante feira industrial do mundo, Hannover reúne anualmente milhares de expositores e participantes estrangeiros. Neste ano, a exposição, que completa 75 anos, acontece de 30 de maio a 2 de junho, com discussão voltada à Transformação Industrial, explorando soluções às três grandes tendências da indústria: digitalização, individualização e produção de baixo carbono. Nesse sentido, a feira aborda hubs do futuro; automação, movimento e direção; peças engenhadas e soluções; logística; ecossistemas digitais; e soluções em energia.

A Fieg proporciona a representantes de 26 micro e pequenas empresas goianas a participação como visitantes em Hannover, algumas pela primeira vez, em circuitos guiados pelos pavilhões da feira e visitas técnicas a indústrias alemãs, entre outras atividades. A missão empresarial conta com parceria da Confederação Nacional da Indústria (CNI), do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae-GO), da Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimento (Apex-Brasil) e da Federação das Indústrias do Estado do Rio Grande do Sul (Fiergs). (Com informações da Fiergs)

Escreva um comentário: