01 Oct. 2020, 21h00

Major Araújo aposta na melhoria do transporte urbano

Candidato a prefeito de Goiânia pelo PSL, Major Araújo foi entrevistado quinta-feira, 1 de outubro, no Fieg Sabatina Eleições 2020. Ele tem 54 anos, é policial militar e cumpre o terceiro mandato como deputado estadual. Eleito vice de Iris Rezende, em 2016, o parlamentar rompeu politicamente com o atual prefeito e não assumiu o cargo. Nesta eleição, Rose Castelo, pastora na Assembleia de Deus, é sua companheira de chapa a vice.  

Perguntado pelo vice-presidente da Fieg André Rocha sobre o principal desafio de seu plano de governo, o candidato elegeu o rompimento com “práticas que vêm sendo adotadas, como favorecimento e conchavos que começam na campanha política”.

Como exemplo, citou a problemática do transporte coletivo urbano, que segundo ele afeta profundamente o desenvolvimento da cidade e contribui para problemas sociais e econômicos. O plano é retirar os eixos da Transurb, cujas vias, junto da Avenida Leste Oeste, darão lugar ao metrô subterrâneo e a ciclovias, nas quais aposta para aumentar a qualidade de vida do goianiense.

Na sua opinião, com um transporte moderno, além de desafogar o trânsito da cidade e de avenidas como Goiás e Anhanguera, mais indústrias e empresas vão se instalar em Goiânia e mais visitantes deverão ser atraídos para comprar em redutos como o polo de moda e para viver numa cidade com mais qualidade de vida.

Indagado sobre projeto da Fieg de criação de polos de desenvolvimento na periferia, para evitar que a pessoa precise cruzar a cidade para ir trabalhar, o candidato afirmou que o plano vai ao encontro de seus objetivos de incentivar a instalação de fábricas nos bairros para atrair moradores dos bairros centrais, provocando aumento de consumo.

Sobre incentivos fiscais, ele disse ser favorável à concessão a empresas que não fazem “farra” e, com esse benefício, fecham fábricas, lojas e postos de trabalho. “Defendo o incentivo para geração de emprego e renda, pois isso gera consumo e não há perda na cadeia produtiva”, ressaltou.

Major Araújo garantiu que, se eleito, a Prefeitura será parceira do Sistema S para promover e incentivar a educação profissionalizante. Ele disse que, na juventude, realizou curso de formação, essencial para seu desenvolvimento pessoal e profissional.

A respeito de ameaças do ministro Paulo Guedes de cortes no Sistema S, o que pode levar ao fechamento de unidades, desemprego e sobrecarga nas escolas da rede pública, ele declarou que está disposto a levar a questão para discussão com o governo federal. “O presidente da República, ao saber dos prejuízos disso para Goiás, por exemplo, pode desautorizar o ministro, como já fez várias vezes”, avaliou.  

Sobre projeto do IEL que qualifica empresas fornecedoras para não perderem vendas para outros municípios, ele não só aprova como considera dever do poder público ser parceiro da iniciativa para contribuir para uma mudança de cenário que necessita de qualificação para que todos possam comprar mais das empresas locais.


ASSISTA ÍNTEGRA DA SABATINA

Escreva um comentário: