22 Jun. 2022, 12h46

Fieg mostra importância das NRs. "Saúde e segurança do trabalho são investimentos, não custos"

Encontro on-line com empresários contou com palestra de engenheiro de Segurança no Trabalho do Sesi Goiás, que defende reverter exigências legais em benefícios para o ambiente laboral

O Conselho Temático de Relações do Trabalho (CTRT) da Fieg, liderado pelo empresário Marley Rocha, reuniu conselheiros e empresários terça-feira (21/06) para discutir a importância das Normas Regulamentadoras para a Saúde e Segurança do Trabalho (SST). No encontro, realizado em ambiente on-line, o engenheiro de Segurança no Trabalho do Sesi Goiás José Carlos Antônio da Silva apresentou um panorama das NRs, sobretudo da NR-1, considerada arcabouço legal de todas as 35 Normas Regulamentadoras vigentes.

"Nosso objetivo é levar conhecimento mais abrangente para os industriários. Segurança do Trabalho vai muito além de seguir uma cartilha SST. Não é apenas feixe legal para cumprir legislação. Hoje, a equipe precisa pensar fora da caixinha. É preciso ter projeto e saber buscar os benefícios que podem ser revertidos para o ambiente de trabalho, considerando a SST como investimento, e não como custo", sustentou o engenheiro do Sesi.

De acordo com José Carlos, essa mudança de paradigma, com adoção de planos e programas para minimizar riscos ocupacionais, proporciona à empresa retorno em redução de custos, com menos afastamentos dos trabalhadores e, inclusive, com menor grau de insalubridade, impactando no pagamento de periculosidade aos funcionários. Nesse sentido, o Sesi oferece às empresas consultoria especializada para adequação e implementação de programa de gerenciamento de risco ocupacional.

O presidente do CTRT, Marley Rocha, destacou a relevância de se conscientizar cada vez mais empresas sobre a importância da adequação à legislação, sobretudo os pequenos negócios, que não contam com setor dedicado à SST. "Pretendemos fazer um documento, um catálogo para as empresas, que sirva como instrumento de consulta aos empresários e que os auxiliem para adequação às normas", afirmou.

Escreva um comentário: