16 Dec. 2020, 13h33

Fieg lança observatório para subsidiar setor produtivo com informações estratégicas

Ser referência na oferta de produtos e serviços baseados em dados no Estado de Goiás. A missão é ousada, mas é com esse propósito que a Federação das Indústrias do Estado de Goiás (Fieg) lançou o Observatório Iris Rezende Machado. A iniciativa, que tem o propósito de transformar a realidade para o mercado com serviços de análises estratégicas, subsidiando a tomada de decisões, foi apresentada pelo presidente da Fieg, Sandro Mabel, e pelo superintendente do IEL Goiás, Humberto Oliveira, durante a solenidade de homenagem ao prefeito de Goiânia, Iris Rezende, realizada segunda-feira (14/12), na Casa da Indústria.

Fruto da parceria da Fieg com o IEL Goiás, o projeto conta com apoio do Sesi e Senai e vai proporcionar aos acionistas da indústria acesso direto aos dados demográficos, econômicos e relativos ao consumo e à estrutura de distribuição de todas as regiões e municípios de Goiás.

Para tanto, a plataforma é estruturada em três pilares: Cidades, Negócios e Fomento. As informações são alimentadas com dados atualizados, considerando mais de 20 bases de dados de todo o território nacional e mais de cem milhões de registros utilizados para análise, proporcionando análises estratégicas, por meio do cruzamento das informações.

De acordo com o superintendente do IEL, Humberto Oliveira, o propósito é fomentar a formação de uma cultura de uso de dados nos diversos segmentos mercadológicos do Estado. "Queremos ser referência, proporcionando inovação, produtividade e formação, sendo pioneiros na cultura do uso de dados para tomada de decisões e ações estratégicas", afirmou.

Em seu escopo, a ferramenta oferecerá aos industriais goianos informações socioeconômicas, para identificar comportamentos do mercado; radar de inteligência de mercado, com monitoramento de recursos e incentivos disponíveis para todos os setores da economia goiana; e dados estruturados e qualificados para fomento da atividade produtiva.

"São soluções em tendências, estudos, cenários, pesquisas, big data e planejamento estratégico", explicou Humberto Oliveira, que listou ainda outros produtos que devem ser agregados em breve à plataforma, como rotas estratégicas setoriais, bússolas de inovação e sustentabilidade, perfis profissionais do futuro e inteligência competitiva setorial, com foco nos eixos estratégicos da Fieg –moda, mineração e grãos.

Escreva um comentário: