19 Jun. 2020, 09h41

Fieg lança Grupo Escambo como alternativa para driblar a crise

Promover a interação entre os empresários goianos para a promoção de negócios, especialmente neste momento de pandemia do coronavírus. Com esse objetivo, o Conselho Temático da Micro, Pequena e Média Empresa (Compem) da Fieg apresentou proposta para criação do Grupo Escambo – A Arte de Negociar. A exposição foi realizada durante reunião ordinária do Compem, na quarta-feira (17/06), com participação de conselheiros e empresários goianos.

"Uma estratégia é criarmos um grupo de whatsApp com o propósito de incentivar negócios entre as empresas goianas", explica o presidente do Compem/Fieg, Jaime Canedo. De acordo com o empresário, a adesão será exclusivamente mediante convite de conselheiros do Compem e a participação incluirá CNPJs da indústria, do comércio e de serviços.

"Diante da crise econômica, consequência direta da pandemia do coronavírus, queremos criar alternativas para os empresários goianos. Acreditamos que promover negócios entre as empresas de nosso Estado fortalece nossa economia e aquece a relação de demanda e oferta", observa Canedo.

Para tanto, já foram estabelecidas regras para participação de empresários no grupo. O documento foi aprovado na reunião dos conselheiros do Compem.

O presidente da Fieg, Sandro Mabel, considerou interessante e criativa a iniciativa do Compem para driblar a crise. "Neste momento difícil, é importante fazer com que o consumidor possa adquirir produtos de sua própria região, o que pode resultar em troca de uma mercadoria por outra, entre uma indústria e outra. Vai abrir perspectiva muito grande. A Fieg já promove campanha para que o goiano dê preferência aos produtos goianos. Nós temos de defender o que é nosso, fazer o dinheiro circular dentro do Estado."

LINHAS DE CRÉDITO
Outra pauta tratada na reunião ordinária do Compem/Fieg foi o acesso ao crédito pelas MPMEs. O diretor de Operações da Goiás Fomento, Fernando Freitas, participou do debate e apresentou as medidas adotadas pela instituição para facilitar a aprovação dos pedidos encaminhados pelos empresários goianos.

Essa foi a segunda vez, em menos de um mês, que Freitas participa de videoconferência do Compem/Fieg para abordar a questão e ouvir dos empresários os entraves que enfrentam no acesso ao crédito.

Desde março, a Goiás Fomento conta com R$ 500 milhões liberados para operação de cinco linhas de financiamento: Goiás Fomento Turismo Capital de Giro, Microcrédito Produtivo Pessoa Jurídica (PJ), Microcrédito Produtivo Pessoa Física (PF), CredFomento e FCO Capital de Giro Dissociado. Os recursos estão disponíveis para microempreendedores individuais e micro, pequenas e médias empresas.

Escreva um comentário: