22 Apr. 2021, 19h40

Fieg Jovem discute acesso ao crédito com empresários goianos

Sob a liderança da empresária Thais Santos, a Fieg Jovem reuniu conselheiros e empresários nesta quinta-feira (22/04) para discutir o tema Linhas de Crédito e Incentivos Fiscais. O encontro, realizado em ambiente on-line, contou com apresentação do representante da Goiás Fomento Paulo Paiva, do assessor econômico Cláudio Henrique Oliveira e das assessoras sindicais da Fieg Vanessa Macedo e Fabiana Almeida.

Na reunião, foram apresentados detalhes do Programa Estadual de Apoio ao Empreendedor (Peame), iniciativa coordenada pela Goiás Fomento que busca oferecer linhas de crédito especiais para microempresas, microempreendedores individuais e autônomos, com taxas de juros subsidiadas. Além disso, o programa permite conceder novo prazo de carência nos contratos vigentes nas linhas de crédito da Goiás Fomento.

De acordo com Paulo Paiva, o Peame tem ampla capilaridade nos setores mais afetados com a pandemia, como trabalhadores autônomos (eletricista, manicure, pedreiro, fotógrafo, feirante etc.), micro e pequenas empresas da cadeia do turismo (bares, restaurantes, hotéis, pousadas, agências de turismo etc.), pequenos negócios industriais, varejistas e atacadistas e prestadores de serviços.

No âmbito da discussão sobre incentivos ficais, o assessor econômico da Fieg Cláudio Henrique Oliveira orientou os empresários sobre as vantagens e características do ProGoiás, novo programa de desenvolvimento regional adotado pelo governo estadual. Na oportunidade, o economista explicou sobre a possibilidade de migração dos atuais beneficiários dos programas Fomentar, Produzir, MicroProduzir e Progredir para o ProGoiás e os benefícios fiscais previstos no novo programa.

Para a presidente da Fieg Jovem, Thais Santos, o impacto da pandemia nos pequenos negócios e na sustentabilidade dos trabalhadores autônomos foi avassalador.

"É urgente que esses empreendedores tenham acesso ao crédito para não fecharem as portas. São micro empresas e micro empreendedores que se viram forçados a paralisarem seus negócios, sem ter capital de giro para manter as atividades", avaliou, ao falar sobre a iniciativa de tratar o tema Linhas de Crédito e Incentivos Fiscais dentro do calendário de reuniões ordinárias do colegiado.

CRÉDITO PARA A INDÚSTRIA
A reunião da Fieg Jovem abordou também o trabalho realizado pela Federação das Indústrias para apoio ao setor. Nesse sentido, a gestora de crédito da Gerência Sindical da Fieg, Vanessa Macedo, apresentou aos empresários as linhas oferecidas pela Fieg para capital de giro e ampliação do negócio.

No âmbito do Núcleo de Acesso ao Crédito (NAC), a Federação das Indústrias atua como posto de atendimento do BNDES, com orientações de crédito e parceria com projetistas. Paralelamente, a Fieg também oferece o Induscred, linha de crédito exclusiva para indústrias que tem como diferencial a menor burocracia e análise rápida para acesso aos recursos.

"Estamos aqui para facilitar a vida do empresário industrial goiano. Temos produtos que possibilitam capital de giro, de investimento e para custeio das empresas. Tudo com taxas competitivas e atendimento personalizado", explicou Vanessa Macedo.

A gestora apresentou ainda a possibilidade de acesso ao crédito facilitado pela GarantiGoiás. A instituição, formada com apoio das entidades que compõem o Fórum Empresarial goiano, oferece garantias líquidas de até 80% do valor da operação de crédito para pequenos negócios.

O encontro da Fieg Jovem contou ainda com a participação da assessora sindical Fabiana Almeida, que apresentou soluções exclusivas do Sistema Indústria para empresas que buscam serviços de certificação digital e plano de saúde, além de facilidades na gestão de recursos humanos.

A reunião marcou o segundo encontro ordinário do colegiado no ano e foi acompanhada pelo presidente do Sindicato das Indústrias da Alimentação no Estado de Goiás (Siaeg), Antônio Santos.

1 comentários

  • PAULO VINICIUS BARBOSA DAMACENA  |  22/04/2021 20:11

    Muito bom !!! O tema excelente para situação que estamos vivendo.

Escreva um comentário: