23 Jun. 2022, 15h41

Fieg discute sustentabilidade sindical com entidades da indústria da construção

A Câmara da Indústria da Construção (CIC) da Fieg, liderada pelo empresário Sarkis Curi, reuniu quarta-feira (22/06) conselheiros para a segunda reunião ordinária do colegiado em 2022. O encontro, realizado de forma híbrida, na Casa da Indústria e com transmissão on-line pelo Zoom, apresentou case de sustentabilidade sindical do Sindilojas; o portal Indústria da Construção, idealizado pelo Senai Goiás; e o estudo Escassez de Mão de Obra na Indústria, executado pelo IEL Goiás. A reunião contou com participação do ex-presidente do Sindilojas Eduardo Gomes.

Dando continuidade à estratégia da CIC de promover a sustentabilidade financeira dos sindicatos do setor da construção, foi apresentado aos conselheiros o projeto implementado pelo Sindilojas para fomentar o associativismo na entidade. Nesse sentido, foram detalhados os benefícios, convênios e serviços formatados pelo sindicato, buscando melhorar sua receita, sobretudo pós-Reforma Trabalhista.

Ainda dentro da pauta, o gerente de Educação Profissional do Senai Goiás, Osvair Almeida Matos, apresentou o portal Indústria da Construção, idealizado pela instituição para reunir todo o portfólio de produtos e serviços ofertados ao setor da construção civil. A plataforma, que já está no ar no endereço eletrônico senaigoias.com.br/eadcursos/construcao, busca apoiar as empresas com soluções para formação profissional, saúde do trabalhador, estágio, emprego e tecnologia. O objetivo é divulgar o atendimento customizado ao setor, inclusive com ações para promoção da inovação nos processos industriais, por meio de consultoria, desenvolvimento de pesquisa aplicada e serviços técnicos e tecnológicos.

Encomendado pelo Conselho Temático de Relações do Trabalho (CTRT-Fieg), o estudo Escassez de Mão de Obra na Indústria, sob execução do IEL Goiás, busca identificar as razões da falta de profissionais, diante de cenário de alta taxa de desemprego. O intuito é aprofundar a discussão sobre a informalidade, com indicadores consistentes e análises com indicações de ações para superar esse desafio. A pesquisa será iniciada com piloto voltado ao setor da construção civil, sendo ampliada posteriormente para outros segmentos industriais, de acordo com gerente de Desenvolvimento Empresarial do IEL, Sandra Márcia Silva, que defendeu a participação das empresas do setor na pesquisa.

A reunião da CIC contou com participação dos presidentes Anastácios Dagios (Comdefesa), Cézar Mortari (Sinduscon-GO), Luiz Antônio Rosa (Sinduscon-Anápolis), Luiz Carlos Borges (Sindiareia), Marcus Brandão (Sindibrita), Nicolas Paiva (Sindimóveis) e Thais Santos (Fieg Jovem) e do diretor de Educação e Tecnologia do Senai Goiás, Claudemir José Bonatto.

Escreva um comentário: