20 May. 2020, 17h11

Confiança do empresário goiano desaba nos últimos 60 dias

Levantamento da área técnica da Fieg mostra que o Índice de Confiança do Empresário Industrial em Goiás recuou 15 pontos entre março e maio

Diante das incertezas do cenário econômico impactado pela pandemia do novo coronavírus, o Índice de Confiança do Empresário Industrial Goiano (ICEI-GO) de maio ficou em 43,6 pontos. É o que indica relatório da área técnica da Federação das Indústrias do Estado de Goiás (Fieg). O resultado, segundo pior desde de abril de 2016, mostra recuo de 15 pontos nos últimos 60 dias.

Apesar da queda brusca, o indicador apresentou fôlego frente a abril, quando bateu 38 pontos. A melhora de 5,6 pontos em relação ao mês anterior foi puxada, principalmente, pelo indicador de expectativas, que se mostrou melhor em maio. Entretanto, na comparação com maio/2019, a queda chega a 14,7 pontos.

“A baixa confiança está generalizada entre os portes de empresas pesquisadas. Ainda que tenham apresentado melhora frente a abril, todos os índices se mantiveram abaixo de 50 pontos", avalia a assessora econômica da Fieg Januária Guedes.

O ICEI é composto pelo Indicador de Condições e Indicador de Expectativas. O primeiro mede as condições atuais de negócios comparadas com os últimos seis meses e o segundo, as perspectivas para os próximos seis meses.

A atual crise impactou todos os portes de empresas. Na comparação com igual período do ano passado, as grandes empresas mostraram-se menos confiantes (-17,2 pontos), seguidas pelas médias (-14,2 pontos) e pequenas (-10,2 pontos).

De acordo com relatório técnico da Fieg, percebe-se incerteza dos empresários diante da retração econômica. "Desde 2017, o País tenta recuperar as perdas da crise econômica do biênio 2015-2016, e tudo caminha para que 2020 seja mais um ano de retração da atividade", sinaliza o documento.

Leia íntegra do relatório.

Escreva um comentário: