26 May. 2022, 15h46

"Campeões não se fazem por acaso". Fieg e CNI reconhecem protagonistas da industrialização goiana

Em noite de gala, indústria goiana homenageia Oswaldo Stival, José Batista Sobrinho, José Carlos Garrote e Iris Rezende Machado (in memoriam) com Medalha da Ordem do Mérito Industrial

Vale a pena! Esse foi o sentimento que marcou a solenidade de entrega da Medalha da Ordem do Mérito Industrial, quarta-feira (25/05), no Teatro Sesi, em Goiânia. O evento, realizado na data em que é comemorado o Dia da Indústria, reuniu lideranças empresariais e autoridades para homenagear os empresários José Carlos Garrote (São Salvador Alimentos), José Batista Sobrinho (JBS) e Oswaldo Stival (Siago) e o ex-governador de Goiás e ex-prefeito de Goiânia Iris Rezende Machado (in memoriam) com a mais alta honraria concedida pela Federação das Indústrias do Estado de Goiás (Fieg) e pela Confederação Nacional da Indústria (CNI) a personalidades protagonistas da industrialização nacional e estadual.

"Campeões não se fazem por acaso e por isso a Fieg e a CNI reconhecem verdadeiros heróis que fazem a história do setor produtivo", afirmou o presidente da Fieg, Sandro Mabel, na abertura do evento de gala. "Empreender tem sido, cada vez mais, uma tarefa para campeões. Diante da ausência de políticas industriais, de uma inflação descontrolada, juros altíssimos e com altas sucessivas; diante do descaso que afugenta indústrias já instaladas em Goiás e que não faz do Estado sequer opção para novos empreendimentos, só mesmo com super-habilidades para manter nossos negócios, gerando empregos, fomentando a economia e a qualidade de vida dos cidadãos", completou. 

O líder classista destacou ainda que a indústria está presente no dia a dia das famílias e reiterou o compromisso da Federação e das instituições Sesi, Senai e IEL com o fomento do setor e mais qualidade de vida para as pessoas.

"A indústria está presente não apenas na minha vida, nem apenas na vida dos empresários industriais aqui presentes. Ela é importante para a vida de todos nós: quando você toma um banho, se alimenta, anda de carro, de bicicleta, toma um remédio, acende uma luz ou simplesmente veste uma roupa, um sapato. A indústria está em tudo!", sustentou.

Coanfitrião da noite, o vice-presidente da CNI Paulo Afonso Ferreira, que representou na solenidade o presidente da Confederação, Robson Braga de Andrade, enfatizou que um país só se desenvolve e cresce por meio de indústrias fortes e competitivas e sublinhou o desafio que o Brasil terá de enfrentar para a retomada do crescimento e da competitividade.

"2022 é um ano de grandes marcos, no qual comemoramos 200 anos de Independência, ano de Copa do Mundo, eleições majoritárias e o fim de uma pandemia. Acredito que será um ano marcado por recomeços, avaliações, aprendizados, oportunidade para que, juntos, atuemos em favor do setor industrial", afirmou.

Paulo Afonso reconheceu o momento festivo como uma oportunidade para aprender com quem faz história, unindo esforços de olho no futuro. "O passado é a alavanca para o futuro! Temos aqui o resultado da persistência, da extraordinária percepção de oportunidades de negócios, histórias que começam com a força do trabalho e a vontade de crescer. São exemplos de liderança e superação, que geram orgulho e dignificam nosso Estado e nosso País, inspirando novas gerações com seus legados e realizações."

HOMENAGEADOS – A mensagem que permeou as manifestações dos quatro homenageados da noite foi uníssona: vale a pena! Homenageado da noite, o empresário José Carlos Garrote, da São Salvador Alimentos, disse sentir-se extremamente honrado com o reconhecimento da Fieg e da CNI e que o momento evidencia que compensa fazer o bem.

"Valeu a pena trabalhar, lutar, acreditar nas ideias, investir, ser industrial! Valeu a pena gerar e distribuir renda, pagar meus impostos, acreditar na inovação, em Goiás, no País e na minha cidade. Tudo valeu a pena! Essa noite consagra todo o esforço que tivemos ao longo dos anos, na luta diária que todo mundo tem", afirmou.

José Garrote também destacou que a indústria é o caminho do progresso e a importância de abraçar a força do setor. O industrial reconheceu ainda o esforço de todos os 7,5 mil colaboradores da Super Frango. "Se hoje estou aqui sendo homenageado, devo primeiramente a Deus, a minha família e ao esforço de todos os colaboradores que fazem o dia a dia da empresa".

Outro homenageado da noite, José Batista Sobrinho, da JBS, reconheceu o orgulho de receber a Medalha do Mérito Industrial, atribuindo ao esforço, ao apoio da família e à dedicação dos colaboradores da empresa o sucesso no negócio. "É uma gratidão, um orgulho! Resultado do meu esforço, da união da família e do excelente quadro de colaboradores da empresa. A gente sozinho não concretiza sonhos."

Pioneiro da indústria do beneficiamento do arroz em Goiás, Oswaldo Stival ressaltou sua gratidão pelo momento e relembrou sua história, como um dos fundadores do Sindicato das Indústrias do Arroz no Estado de Goiás (Siago), em 1973. "Fui cerealista por muitos anos e sempre trabalhei pelo bem e busquei criar e crescer. Meu pensamento sempre foi voltado ao futuro, buscando aglutinar e fortalecer o setor produtivo goiano", destacou o empresário, que deixou marcas famosas como Goyanas e Veneza, incentivando e agregando valor aos produtos, distribuídos em Goiás e em todo território nacional.

A solenidade de entrega da Medalha da Ordem do Mérito Industrial também foi marcada pela homenagem póstuma ao ex-governador de Goiás e ex-prefeito de Goiânia Iris Rezende Machado. A família do político foi representada pelas filhas Ana Paula Rezende e Adriana Rezende. "Ações como essa aqui hoje iluminam tudo de bom que se faz na vida pública e enobrecem o sentido verdadeiro da política, tão caro ao meu pai", afirmou Ana Paula.

Ela agradeceu a honrosa homenagem e ressaltou o reconhecimento da Fieg ao legado de seu pai ainda em vida. "O que me conforta é saber que em vida meu pai recebeu várias homenagens como essa, por exemplo, em 18 de maio de 2021, menos de três meses antes dele ter o AVC, ele esteve na inauguração do Observatório Iris Rezende Machado, uma homenagem da Fieg e do IEL comandada pelo presidente Sandro Mabel."

Ana Paula destacou ainda a trajetória política de Iris Rezende e sua característica de homem visionário, que “caminhou à frente de seu tempo. Ele deixou marcas profundas na política, na cultura e na forma de administrar. Deixou marca inovadora no processo de industrialização de Goiás e do Brasil. Essas marcas merecem ser valorizadas pelo que contêm de lição para o presente e para o futuro de nossa gente. Meu pai não fez parte da história de Goiás, ele fez a história do Estado!", concluiu.

SOBRE O MÉRITO INDUSTRIAL – A Medalha da Ordem do Mérito Industrial foi instituída pela Confederação Nacional da Indústria (CNI) por inspiração do exemplo de pioneiros do setor produtivo que, com criatividade e visão do futuro, forjaram as bases do moderno parque industrial brasileiro. A comenda, criada em 1958, tem o objetivo de prestar a mais alta reverência do segmento industrial tanto a empresários como a outras personalidades que se destacaram no cenário nacional.

No âmbito estadual, a Federação das Indústrias do Estado de Goiás (Fieg) igualmente reconhece com o Mérito Industrial, desde 1968, personalidades e instituições que se destacam na defesa do setor produtivo e da economia goiana.


SOBRE OS HOMENAGEADOS

José Carlos Garrote – José Carlos Garrote de Souza, mais conhecido como Zé Garrote, é empresário, fundador e atual presidente do Conselho de Administração da São Salvador Alimentos S/A – SSA, empresa frigorífica instalada em Itaberaí, a 98 km de Goiânia, que emprega mais de 7.500 colaboradores e terceirizados diretos.

José Batista Sobrinho – Mais conhecido como 'Seu Zé Mineiro', é o fundador da Casa de Carnes Mineira, embrião do que se tornaria a gigante JBS, empresa que carrega as iniciais de seu nome e hoje é uma das líderes globais da indústria de alimentos.

Oswaldo Stival – Um dos precursores da indústria do beneficiamento do arroz em Goiás, Oswaldo Stival foi um dos fundadores do Sindicato das Indústrias do Arroz no Estado de Goiás (Siago), em 1973, e sua empresa, a JB Stival, deixou marcas famosas como Goyanas e Veneza, incentivando e agregando valor aos produtos, distribuídos em Goiás e em todo território nacional.

Iris Rezende (in memoriam) Vereador, deputado estadual, prefeito de Goiânia, governador de Goiás, senador, ministro da Agricultura e também da Justiça. Dono de longeva carreira política de mais de 60 anos, liderou, à frente do governo estadual, a travessia de Goiás ainda predominantemente rural para o Estado moderno e industrializado de hoje.

Escreva um comentário: