01 Jun. 2021, 15h22

Café Rancheiro ganha Biblioteca Sesi na Empresa

A Federação das Indústrias do Estado de Goiás (Fieg) e o Sesi inauguraram terça-feira (1º de junho), na indústria Café Rancheiro, em Anápolis, mais uma Biblioteca Sesi na Empresa, centro multimídia destinado a promover o acesso de trabalhadores do setor à leitura e pesquisa. A unidade, 17ª implantada em Goiás, conta inicialmente com mais de 600 exemplares de publicações diversas, assinatura de revistas e jornais e cinco computadores com acesso à internet. 

O presidente da Fieg e dos Conselhos Regionais do Sesi e Senai, Sandro Mabel, destacou que as instituições querem ser cada vez mais aliadas das indústrias. “Queremos formar trabalhadores sob encomenda para atender às demandas de mão de obra, como já estamos fazendo aqui com a indústria automobilística”, disse, referindo-se à Caoa Montadora, em Anápolis. “A Fieg, que está completando 70 anos de história de sucesso, quer que a indústria seja cada vez mais 4.0”, completou.


Inauguração da Biblioteca Sesi na Empresa reuniu diretores do Café Rancheiro e lideranças da Fieg, Sesi e Senai. Fotos: Alex Malheiros

Durante a inauguração, Sandro Mabel anunciou a doação à biblioteca de cinco assinaturas do Observatório Fieg Iris Rezende, plataforma virtual recentemente instalada pelo IEL, envolvendo parceria com Sesi e Senai, e destinada a proporcionar aos acionistas da indústria acesso direto a informações e dados demográficos, econômicos e relativos ao consumo e à estrutura de distribuição de todas as regiões e municípios de Goiás.

O sócio administrador do Café Rancheiro, Ricardo Ander, afirmou que a inauguração da biblioteca na indústria é só o começo de muitos projetos na área da educação. “Acredito muito na educação, que tem o poder de elevar o nível de vida e de conforto que nossos funcionários podem dar para a família deles”, ressaltou. Ander também destacou a qualidade dos livros do novo centro de leitura. “Tem exemplares de todas as áreas. Espero que consigamos formar melhores trabalhadores e que eles consigam avançar no plano de carreira para se tornarem melhores pessoas e cidadãos.”

“A luta maior não é entre o bem e o mal, é entre o conhecimento e a falta dele. A falta de conhecimento é raiz de todos os problemas”, avaliou o presidente da Fieg Regional Anápolis, Wilson de Oliveira, acionista e um dos fundadores do Café Rancheiro. Ele lembrou que já participou de inaugurações de várias bibliotecas pelo Sistema Fieg e que é um privilégio passar a contar com uma dentro da indústria de alimentos. “Esse dia muda a história do Café Rancheiro”, disse, lembrando o início da história da indústria, no ano de 1985, na cidade Ouro Verde de Goiás.

Marciana Neves, diretora do Sesi Jundiaí, unidade responsável pela implantação da biblioteca, observou que o projeto contemplou mais livros do que computadores para ocupar menos espaço físico e os funcionários da indústria possam ter ali um local de convivência e formar grupos de estudos. “Na indústria, a gente trabalha, mas também aprende”, disse. Segundo ela, a inauguração é apenas o começo das ações do Sesi e Senai dentro da empresa. “O Sesi e o Senai podem fazer mais por esta indústria. Queremos transformar vidas para uma indústria mais competitiva”, disse.

BIBLIOTECAS SESI


Fotos: Alex Malheiros

O Sesi Biblioteca na Empresa já está presente nas indústrias Jalles Machado, Ontex, Caoa, Super Frango, Pif Paf e Caramuru Alimentos. O programa busca promover a inclusão digital, aproximar os trabalhadores de obras de grandes escritores e despertar o hábito da leitura.

Além das Bibliotecas Sesi na Empresa, a instituição possui centros de leitura em suas unidades e em locais como a sede da Organização das Voluntárias de Goiás (OVG), totalizando quase meia centena.

Escreva um comentário: