13 Feb. 2020, 14h20

ARTIGO Água: aprendendo e ensinando

O leitor já imaginou economizar 53,7% em sua conta de água, única e exclusivamente adotando atitudes simples e conhecidas, como reduzir o tempo no banho, usar moderadamente a torneira para lavar as louças sujas e reaproveitar a água da chuva para limpar a casa? E se essa economia chegar a 74,56%? Sua conta fica quase de graça!
Façanhas assim foram obtidas por alunos do ensino fundamental e médio de escolas do Sesi em Goiás e seus familiares, no 2º Concurso Água na Medida Certa – Prêmio Ideias Inovadoras Sustentáveis, que mobiliza nossas unidades escolares pelo segundo ano consecutivo e que nos incentiva a lançar a terceira edição, hoje, na Escola Sesi Planalto, em Goiânia. A premiação – seis meses de bolsa integral de estudos – desta vez vai para Vitória Gonçalves, do Sesi Catalão, no alto do pódio; Maria Luisa Novais, do Sesi Planalto, e Marcos Farias Pimentel, da Unidade Integrada Sesi Senai Rio Verde. 
No início do segundo ano à frente da Federação das Indústrias do Estado de Goiás (Fieg) e do Conselho Regional do Sesi/Senai, a cada dia me surpreendo positivamente com o potencial criativo de nossos estudantes, fruto de investimentos que tornam o ensino nas unidades escolares diferenciado e voltado cada vez mais para o mundo do trabalho, para a sustentabilidade. 
Se no ano passado, os garotos do Sesi Canaã, em Goiânia, já haviam encantado o mundo com o chiclete de pimenta para astronautas – vencedor do Mundial de Robótica da Nasa, nos Estados Unidos –, novas experiências em diversas áreas do conhecimento dão asas à criatividade nas salas de aula, onde conteúdos transversais e busca por inovação são marcas. 
A questão da água, cuja relevância dispensa mais comentários, é destinada a sensibilizar pais, alunos e comunidade escolar sobre o uso consciente dos recursos hídricos, especialmente diante da escassez que todos os anos atinge o Estado e várias regiões do Brasil.
O caráter educativo é estratégico, já que desperta crianças e adolescentes e, mobilizados por eles próprios, os familiares são atingidos pela conscientização. A repercussão vem em escala, pois a Fieg incentiva também a indústria com diversas ações voltadas à sustentabilidade, desencadeadas por meio de seu Conselho Temático de Meio Ambiente, a exemplo do tratamento dos resíduos sólidos, um grande desafio não só para as empresas, mas também para a sociedade. Ou seja, é preciso atuarmos juntos – empresas, escolas, comércio, poder público, etc.

Sandro Mabel, presidente da Fieg e dos Conselhos Regionais do Sesi e Senai

*Artigo publicado no jornal O Popular, no dia 12/02/2020

 

 

Escreva um comentário: