10 Sep. 2020, 18h31

"A Europa está aberta aos negócios", diz embaixador belga a empresários goianos

A Federação das Indústrias do Estado de Goiás (Fieg) promoveu, nesta quinta-feira (10/09), o terceiro webinar da série Intercâmbio Comercial: Incrementando os Negócios Bilaterais. Desta vez, os empresários goianos conheceram as oportunidades de negócios com a Bélgica. O encontro virtual contou com apresentação do embaixador belga no Brasil, Patrick Herman, e de representantes das regiões de Flandres, Valónia e Bruxelas.

Utilizando a metáfora da bola, relacionada aos esportes, o diplomata colocou em evidência as possibilidades que a Bélgica oferece aos empresários interessados em exportar produtos ou estabelecer adidos comerciais no país europeu. "Somos campeões no tênis, hóquei e futebol, mas vamos falar de uma bola diferente, a da economia mundial", disse ao relatar a relevância da Bélgica no contexto mundial e europeu. Atualmente, o país está entre as 25 maiores economias do planeta, sendo considerado a capital da União Europeia, sobretudo pela localização geográfica privilegiada e por uma rede logística bastante moderna e desenvolvida.

Segundo Patrick Herman, a expectativa da Bélgica, até março deste ano, era de crescimento de 1,2% da economia, com aumento de 5% do poder de compra do mercado interno para os próximos quatro anos, além de criação de 170 mil novos empregos e queda do desemprego para 5,4%. Entretanto, a pandemia do coronavírus mudou a conjuntura, que hoje prevê recessão de 4% e aumento de 20% da dívida pública.

"Como o chocolate belga, uma bola importante é a da esperança, de retomada para um futuro mais doce. Todas as crises anteriores foram transformadas em oportunidades e dessa vez não será diferente. A Europa está aberta aos negócios", enfatizou aos empresários, ao reforçar a importância do Acordo Comercial União Europeia - Mercosul, que cria uma das maiores áreas de livre comércio do mundo. Hoje, a UE já é o segundo maior parceiro comercial do Brasil, com fatia de 18,2% das transações de comércio exterior. No total, o comércio de bens ultrapassa a cifra dos €65 bilhões.

No webinar, representantes das regiões de Flandres, Valónia e Bruxelas explicaram sobre as potencialidades econômicas de cada distrito. Nesse sentido, foram listados aspectos do sistema fiscal favorável às empresas, com contínua diminuição da taxa do imposto corporativo e incentivos fiscais voltados a pesquisa, desenvolvimento e inovação e logística, inclusive para desempenho na administração aduaneira, importante para quem tem interesse em usar a Bélgica como ponto de entrada de produtos para o mercado europeu.

Mediador do webinar, o vice-presidente do Conselho Temático de Comércio Exterior (CTComex) da Fieg, William O'Dwyer, ressaltou que Goiás e Bélgica têm caminhado juntos em aspectos comerciais, culturais e humanos. "Nos últimos anos, parcerias e negócios foram firmados por meio da confiança mútua, sempre com o apoio da Fieg. Hoje, mais de 40 mil cidadãos goianos escolheram a Bélgica para ser sua segunda pátria", observou o empresário, ao enfatizar a importância para a economia goiana de se aprofundar ainda mais os laços e o relacionamento com o país europeu.

Presente na abertura, o presidente da Fieg, Sandro Mabel, elogiou o evento e destacou que a relação da Bélgica com o Brasil prioriza setores de cooperação como ciência, tecnologia e inovação, além de infraestrutura e logística. "Portanto, temos muito a ganhar, reciprocamente, com aproximação e consolidação de parcerias."

O próximo encontro virtual da série Intercâmbio Comercial: Incrementando os Negócios Bilaterais está previsto para o final de setembro, com o embaixador de Portugal no Brasil, Jorge Cabral.

Escreva um comentário: