17 Dec. 2020, 09h35

70 anos de industrialização

Confira o artigo do presidente da Fieg, Sandro Mabel, sobre os 70 anos do Sistema Indústria em Goiás

A industrialização de Goiás, iniciada de forma incipiente no começo da década de 50, foi potencializada por programas de incentivos fiscais que mudaram o perfil econômico goiano. De Estado predominantemente agropastoril, temos hoje consolidada uma indústria forte, moderna, diversificada e dinâmica, invariavelmente na liderança de crescimento no País. São mais de 15 mil indústrias envolvendo 300 mil trabalhadores e responsáveis por 20,8% do PIB de todo o Estado.

A cadeia produtiva goiana abrange hoje desde derivados de petróleo e biocombustíveis à fabricação de medicamentos e automóveis, passando por diversos outros segmentos fortes, e dá passos firmes rumo a um novo patamar, a inserção na Indústria 4.0. Novos segmentos industriais, de alta tecnologia, como automotivo, farmoquímico e sucroenergético, foram incorporados de forma sólida e dinâmica, e a desconcentração espacial da produção promoveu crescimento socioeconômico equilibrado nas várias regiões do Estado.

A mineração, com a nova Lei de Licenciamento Ambiental, consolida-se e está cada vez mais forte e presente na vida dos goianos. A indústria de alimentos cresce a passos largos com incentivos à industrialização de matérias-primas, beneficiando não apenas produtores, mas toda a população, com mais arrecadação, mais investimentos em infraestrutura, geração de empregos e qualificação profissional. Enfim, é imediata a repercussão positiva no segmento produtivo desse instrumento de geração de desenvolvimento, de emprego e renda, como prega a Federação das Indústrias do Estado de Goiás (Fieg), ao lado de pilares estratégicos como a industrialização de grãos (soja e milho), a verticalização da produção mineral e o desenvolvimento da cadeia da moda goiana. 

Estamos prestes a ingressar em um futuro promissor, da acelerada corrida tecnológica, da inovação, do mundo globalizado e cada vez mais competitivo. Pioneiros e protagonistas da história da industrialização goiana, a Fieg abre neste dia 17 de dezembro, quando comemora 70 anos de sua fundação, um novo tempo, buscando, juntamente com suas instituições Sesi, Senai e IEL – igualmente pioneiras do Sistema Indústria goiano –, avanços na educação básica e profissional, na potencialização do mercado de trabalho.

A palavra de ordem é formar os melhores profissionais, verdadeiros campeões, com domínio da robótica, conhecimento científico, protagonistas do ensino-aprendizagem, cada vez mais apaixonados pela indústria, onde seguramente terão os melhores salários, oportunidades de crescimento profissional e mesmo de empreendedorismo.

Em 2020, em meio à pandemia do novo coronavírus, que adiou as comemorações dos 70 anos da Fieg para o ano que vem, o marco histórico ganhou simbolismo, com inauguração de várias obras do Sesi e Senai, a exemplo da abertura, hoje, do Centro de Treinamento Avançado Senai-Enel Distribuição Goiás – o mais moderno complexo didático do País na área de eletricidade de potência, instalado por meio de parceria na Faculdade Senai Ítalo Bologna, em Goiânia. Edificamos nossas escolas com modernas estruturas, laboratórios de última geração e inserimos no mercado 120 mil profissionais qualificados em cursos de curta, média e longa duração, presencial e à distância, sendo muitos desses cursos gratuitos. Ao mesmo tempo, proporcionamos educação diferenciada a quase 27 mil alunos da educação infantil ao ensino médio.

E a indústria, que buscou se reinventar para a retomada econômica, é também solidariedade. Desde o início da grave crise sanitária, mostrou isso, ao criar a Fieg + Solidária, projeto de responsabilidade social que vem fazendo a diferença ao amparar famílias carentes com distribuição de alimentos e outros produtos de primeira necessidade e, em outro exemplo, ao promover, por meio do Senai, projeto de grande valor, que consertou nada menos do que cem respiradores mecânicos da rede pública de saúde do Estado para uso no combate à Covid-19.

É a Fieg 70 anos, a Fieg do desenvolvimento industrial, a Fieg que inova e faz o bem!

Sandro Mabel, presidente da Federação das Indústrias do Estado de Goiás (Fieg) e dos Conselhos Regionais do Sesi e Senai

Escreva um comentário: